Fale Conosco
(11) 3392-2195 | (11) 3392-5196

Halitose

A halitose ou mau hálito não é uma doença, mas sim o resultado de algum problema bucal, que responde por quase 90% dos casos, como nos exemplos:

• Saburra lingual: placa bacteriana esbranquiçada, amarelada ou amarronzada que se instala no fundo da língua e ocorre quando há a diminuição da produção de saliva ou se forma por minúsculos pedacinhos de pele que se soltam dos lábios e bochechas além do normal;

• Cáseos amigdalianos: massa viscosa em forma de bolinha que se aloja nas cavidades existentes nas amídalas (criptas amigdalianas) e que possui um forte e desagradável cheiro;

• Gengivite: inflamação da gengiva devido a placa bacteriana;

Periodontite: é o caso mais grave da gengivite que causa inchaço, perda óssea e possível perda do dente;

• Outros fatores: respiração pela boca, o jejum prolongado, a desidratação, a exposição ao ar-condicionado, o estresse e o uso de certos medicamentos acarretam o ressecamento da boca, situações que podem desencadear a halitose.

Normalmente, quem tem halitose não percebe o problema, mas para quem está próximo o odor é desagradável e causa a repulsa. Por isso, a halitose causa distanciamento social, pois os portadores do distúrbio acabam se isolando ou não sendo procurados por seus colegas.

Você sabe o que é halitose?

Ter problemas bucais em algum momento da vida é algo absolutamente comum, principalmente se a frequência de consultas ao dentista for baixa. De acordo com especialistas, um dos problemas mais comuns é a halitose, também conhecida como ‘mau hálito’. O problema afeta homens e mulheres de diversas idades.

As causas da halitose são variadas, embora haja um consenso entre os dentistas que em 99% dos casos ela seja proveniente da saburra lingual. Também pode ser de origem fisiológica, surgindo pela manhã ou logo após um longo período de jejum.

Quais são os sintomas da halitose?

Primeiramente, o sintoma mais notável é o odor desagradável que surge ao abrir a boca, bocejar e falar. Algumas pessoas podem sentir um gosto estranho na boca, quase constante, e acostumam-se a ponto de não notarem o problema depois de algum tempo.

Além da saburra lingual há outras causas para halitose?

Sim! Doenças na gengiva ou nas amígdalas também podem causar halitose. A baixa produção de saliva é outra causa comum do problema. Doenças como diabetes, problemas renais e prisão de ventre podem contribuir para o surgimento da halitose.

A alimentação pode causar halitose?

O consumo de alho, cebola, pimenta e outros temperos fortes podem ocasionar um quadro temporário de halitose, que é facilmente sanado com uma boa escovação. Se os resíduos destes alimentos permanecerem na boca por muito tempo, é comum que halitose seja intensificada.

Halitose tratamento

Se houver a suspeita de um quadro de halitose, o primeiro passo deve ser procurar um dentista. O profissional irá indicar os melhores produtos para sanar o problema e explicar como deve ser feita a higienização correta da boca, de modo a prevenir a recorrência da halitose. A utilização de um enxaguante bucal com propriedades bactericidas pode ser eficaz na maioria dos casos, quando combinado com um creme dental especial.

A halitose, popularmente conhecida como mau hálito, não é uma doença em si, mas pode ser um sintoma de que algo não vai bem com a saúde bucal. Normalmente, esse mau odor presente na boca vem acompanhado de algumas outras características:

• Saburra lingual – é caracterizada pela placa bacteriana esbranquiçada, amarelada ou amarronzada instalada no fundo da língua e ocorre quando existe a diminuição da produção de saliva ou quando pequenos pedaços de pele se soltam dos lábios e bochecha.

• Cáseos amigdalianos – consiste em uma massa viscosa em formato de bolinhas que se alojam nas cavidades existentes nas amídalas (criptas amidalianas) e que são responsáveis pela presença do forte e desagradável cheiro.

Algumas doenças como a gengivite e a periodontite também desencadeiam a halitose, que acaba desaparecendo quando existe o tratamento adequado.

A gengivite consiste na inflamação da gengiva originada pela placa bacteriana (biofilme) ou tártaro. A periodontite é a evolução desse quadro quando os demais tecidos de sustentação dos dentes são atingidos por esse processo inflamatório ou infeccioso, comprometendo a saúde bucal, podendo causar a perda de um ou mais dentes. A forma mais simples de evitar essas doenças é realizar diariamente a higienização bucal, além de procurar um odontologista assim que a halitose for identificada, para evitar que a doença se desenvolva.

Normalmente, a pessoa que sofre com o problema de halitose acaba não percebendo que ele existe, porém, pessoas ao redor podem sentir esse odor incômodo, por isso essa condição acaba causando um distanciamento social.

Halitose causas: quais são?

Na maioria dos casos, a halitose tem origem bucal, ou seja, decorrente de alguma característica específica das regiões que compõem a arcada dentária e demais estruturas internas exclusivamente da boca. A halitose de origem extrabucal ocorre em menor escala e, nesses casos, os motivos normalmente são distúrbios decorrentes das vias aéreas superiores ou desencadeadas pelo próprio metabolismo.

É essencial procurar um odontologista para que os motivos que desencadearam o problema sejam identificados. Dessa forma, o especialista poderá indicar o tratamento mais adequado para cada caso.

Como identificar a halitose

A halitose é um quadro extremamente comum, em homens e mulheres de qualquer idade. É importante ressaltar que mesmo quando a saúde bucal está aparentemente em dia esse problema pode surgir e é essencial ir até um consultório odontológico para que o especialista faça todos os exames necessários e identifique a causa da halitose.

O principal sintoma da halitose é o mau cheiro exalado pela boca, principalmente ao falar, bocejar ou simplesmente abrir a boca. Normalmente pode ocorrer pela manhã e diminuir após a realização da higienização bucal. Em outros casos, essa higienização diária pode não ser suficiente para reduzir o problema.

O consumo de alguns alimentos pode desencadear um quadro momentâneo da halitose, como alho, cebola, pimenta dentre outros temperos de gosto forte e, quanto mais tempo esses alimentos permanecerem na boca, maior será a halitose, portanto a higienização é essencial para amenizar o odor.

Como prevenir a halitose?

A melhor forma de prevenir um quadro de halitose é realizar a higienização diária dos dentes, bochechas e língua, com escovação dentária, utilização de fio dental e enxaguante bucal, para evitar o acúmulo de bactérias que formam a saburra lingual, responsável pela maioria dos casos de halitose.

Agende seu horário aqui pelo site mesmo em qualquer unidade da Vital Odonto para uma avaliação da sua saúde bucal.